???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.uea.edu.br/jspui/handle/tede/317
Tipo do documento: Dissertação
Título: O ensino da ciência e a experiência visual do surdo- o uso da linguagem imagética no processo de aprendizagem de conceitos Científicos
Título(s) alternativo(s): The teaching of science and the visual experience of the deaf-the use of language in the process of learning concepts Scientists
Autor: Moda, Simone Cavalcante 
Primeiro orientador: Souza, José Camilo Ramos de
Primeiro membro da banca: Souza, José Camilo Ramos de
Segundo membro da banca: Aguiar, José Vicente de Souza
Terceiro membro da banca: Soares, Neiva Maria Machado
Resumo: O espaço educacional se organiza a partir de uma abordagem pedagógica, política e social que influenciam as metodologias e estratégias praticadas em sala de aula. No ensino e aprendizagem de sujeitos surdos há abordagens que consideram a surdez uma característica que permite o desenvolvimento de uma experiência visual que pode ser aproveitada na construção e aquisição de conceitos científicos. É nesse contexto que esta dissertação se desenvolveu. Possui como objetivo geral desvelar se e como o surdo constrói conceitos científicos a partir do ensino das ciências por meio da linguagem imagética no terceiro ano do Ensino Fundamental I. Elencou-se o tipo de pesquisa na perspectiva qualitativa, Estudo de Caso, por conter características que propiciam respostas aos objetivos proposto. Os sujeitos participantes são alunos, professores e gestora que fazem parte de uma escola específica para surdos, na Cidade de Manaus. A pesquisa tem um enfoque fenomenológico, uma vez que ocorre numa realidade percebida, concebida e vivida que envolve sentimentos e pensamentos. As técnicas aplicadas foram a observação não-participante, as entrevista semiestruturadas e uma sequência didática. Os dados coletados foram analisados numa perspectiva dialógica entre a observação-reflexão da pesquisadora e a situação estudada, a partir de técnicas de análise de conteúdo de uma pesquisa qualitativa. Os principais autores utilizados discutem questões referentes à ciência enquanto conhecimento científico, o ensino e a experiência visual do surdo, os signos, a linguagem imagética e o processo de ensino e aprendizagem. O ensino de conceitos científicos deve considerar os aspectos visuais no processo de aprendizagem, para que o surdo se instrumentalize dos saberes e seja alfabetizado cientificamente, Cascais, Fachin-Teran (2013), Driver (1999), Demo (2010), Pérez, (2001). Outro ponto observado é que pelo fato de os conceitos científicos serem abstratos, a alfabetização científica com crianças surdas se desdobra para outras problemáticas, como: a não aprendizagem de uma língua; a falta de estímulos externos (relações sociais); a inexistência de sinais na Língua de Sinais para determinadas áreas do conhecimento as quais requerem mais reflexões e contribuições para que sejam minimizadas, Skliar (2015), Strobel (2008), Vilhalva (2004) Quadros (1997), Slomski (2010), Goldfeld (1997). Nesse contexto, a linguagem imagética aparece como um meio semiótico importante na aquisição de conhecimentos, uma vez que utiliza e envolve diferentes suportes que incluem o próprio corpo, muros, telas, cadernos escolares que valorizam a visualidade, Peirce (2005), Saussure (2012). A compreensão de suas características ultrapassa o entendimento de que se revela apenas se estiver acompanhada por um discurso textual, ou seja, sob essa perspectiva, ela não poderia emitir sentidos e, a partir deles, ressignificar o conhecimento, Santaella (2001, 2008, 2012). A partir dos pressupostos, o ensino de conceitos científicos para surdos deve ser pensado e repensado continuamente. A compreensão desses pressupostos é o ponto de partida que se torna indispensável no processo de aprendizagem, na ressignificação dos conhecimentos e na estruturação de conceitos científicos.
Abstract: The educational space is organized from a pedagogical, political and social approach that influences the methodologies and strategies practiced in the classroom. In teaching and learning of deaf subjects there are approaches that consider deafness a feature that allows the development of a visual experience that can be used in the construction and acquisition of scientific concepts. It’s in this context that this dissertation was developed. It has as general objective to reveal if and how the deaf constructs scientific concepts from the teaching of the sciences through the imaginary language in the third year of Elementary Education I. The type of research in the qualitative perspective, which provide answers to the proposed objectives. The participants are students, teachers and principals who are part of a specific school for the deaf, on City of Manaus. Research has a phenomenological focus, since it occurs in a perceived, conceived and lived reality that involves feelings and thoughts. The applied techniques were non-participant observation, semistructured interviews and a didactic sequence. The collected data were analyzed in a dialogical perspective between the observation-reflection by researcher and the studied situation, based on content analysis techniques of a qualitative research. The main authors discuss issues related to science as scientific knowledge, teaching and visual experience to the deaf, signs, imagery language and the teaching and learning process. The teaching of scientific concepts should consider the visual aspects in learning process, so that deaf are instrumented of knowledge and are scientifically literate,. 2001). Another point observed is that because the scientific concepts are abstract, scientific literacy with deaf children unfolds to other problems, such as: not learning a language; the lack of external stimuli (social relations); the lack of signs in Sign Language for certain areas of knowledge which require more reflections and contributions in order to minimize them, Skliar (2015), Strobel (2008), Vilhalva (2004) Tables (1997), Slomski (2010), Goldfeld (1997). In this context, the imagery language appears as an important semiotic medium in acquisition of knowledge, since it uses and it involves different supports that include the own body, walls, screens, school notebooks that value the visuality, Peirce (2005), Saussure (2012). The understanding of its characteristics surpasses the understanding that it is revealed only if this is accompanied by a textual discourse, that is, from this perspective, it couldn’t emit meanings and, from them, re-signify knowledge, Santaella (2001, 2008, 2012 ). From the assumptions, the teaching of scientific concepts for the deaf should be thought and rethought continuously. The understanding of these assumptions is the starting point that becomes indispensable in learning process, the re-signification of knowledge and the structuring of scientific concepts.
Palavras-chave: Surdos
Imagem
Ensino e Aprendizagem
Área(s) do CNPq: EDUCACAO::ENSINO-APRENDIZAGEM
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade do Estado do Amazonas
Sigla da instituição: UEA
Departamento: Escola Normal Superior ENS::PROPESP
Programa: Educação e Ensino de Ciências na Amazônia
Citação: Moda, Simone Cavalcante. O ensino da ciência e a experiência visual do surdo- o uso da linguagem imagética no processo de aprendizagem de conceitos Científicos. 2017. 146 f. Dissertação( Educação e Ensino de Ciências na Amazônia) - Universidade do Estado do Amazonas, Manaus.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.uea.edu.br/jspui/handle/tede/317
Data de defesa: 29-May-2017
Appears in Collections:DISSERTAÇÕES - PPGECA



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons